quinta-feira, 19 de julho de 2018

AME alguém que...


AME alguém que te ASSUMA.

Que não tenha medo.
Que não tenha dúvida.

AME alguém que não te esconda.

Que te escolha.
Sem medo, nem culpa.

AME alguém que não te engane.
Que salve o seu número de contato com o seu nome.

Que tenha somente você.
Que queira somente você.

Que você nem precise se preocupar.
Que você não precise se questionar.
Que não precise se assegurar de quantas ele tem como "única".
Por não ter dúvidas de que na vida dele, de fato, é você que é.

AME alguém que te queira com certeza.
E não queira te perder por nada.
Tão pouco, por besteira.

Que tenha palavra.
Que seja verdade.

Que te ganhe, mas que não te engane.
Que não te enrole.
Que venha por inteiro.

Que seja por completo e não pela metade.
Que seja presença.
Que não te ofereça migalhas, pensando que você não perceba.

AME alguém que te dê perspectivas.
E não expectativas.

AME alguém que te cure.
E não que te adoeça.

AME alguém que te alegre.
E não te entristeça.

AME alguém que te veja como única.
E te trate como tal.

Não caia em conversas fiadas.
Histórias mal contadas.
Situação sem nexo, nem explicação.

Não aceite pouca atenção.
Pouco afeto.
Pouca presença.
Pouca conversa.
Pouco amor.
Pouca entrega.

Não perca seu tempo com quem, raramente, prioriza o tempo com você.
Não perca o hoje com quem não te dá segurança do amanhã.
Não perca a sua vida por quem não te prioriza.

Não prejudique o seu futuro com quem não te coloca em seu mundo.

AME quem fica.
Quem liga.
Quem te assume pra família.

AME quem te ama em casa, na cama, na praia, na grama.
Na lagoa. Na pousada. Na escada. Na piscina.
E não num fim de noite, em qualquer esquina.

Não ame uma mentira.
Desapegue da ilusão. 

Não tenha medo da partida.
Pois, permanecer, pode te resultar apenas em uma grande solidão.

Tira do coração esse amor que, notoriamente, será em vão!

Renata Galbine!

Deixa a Energia Fluir


Já reparou na nossa dificuldade em se DESAPEGAR?

A gente lê e escuta falar muito da necessidade de se desapegar de pessoas, sentimentos e relacionamentos.
Mas hoje eu quero falar do DESAPEGO MATERIAL.

Há quanto tempo você não faz uma limpa na sua gaveta de calcinhas/cuecas?
Há quanto tempo você não dá uma geral no seu guarda-roupa e se desfez de peças que não usa há tempos?

Concordo que encarar gavetas e guarda-roupas, é preciso uma certa disposição.
Se não, muita disposição.
Eu, embora extremamente organizada, confesso que detesto essa etapa de arrumação.

Mas penso que essa preguiça, esse adiamento, esse vai deixando pra depois, depois e depois, um depois que nunca chega, é resultado do acúmulo.
Acúmulo de coisas que temos, que usamos, ou muitas das vezes nem usamos mais, e mal temos onde colocar.
Mas que, ainda assim, nos negamos e relutamos em nos desfazer, vender ou doar.

Por que?!

Pra que manter aquela calcinha surrada???
Aquela cueca furada.
Aquele par de meias desbotadas.
Aquela calça que não mais te serve, mas que você afirma e reafirma que vai emagrecer pra voltar a usá-la.
Aquele vestido que, há tempos, precisa fazer a barra e já até saiu de moda.
Aquela blusa que nem combina mais com a sua personalidade.
Aquele casaco que há anos está guardado, você não usa, sabe bem que não vai usar, mas, ainda assim, não tem coragem de se desfazer.

Pois SE DESFAÇA!
Desapega.
Manda embora.

Faça uma limpa nas suas gavetas e guarda-roupas.

Desacumule.
Elimine.

Uma peça de roupa que está guardada há mais de seis meses e nunca foi usada, dificilmente, virá a ser usada por você.

Dá pra quem precisa.
Sempre vai ter alguém que precise mais do que você.

Ou, pelo menos, se não mais estiver sendo útil pra você, com certeza, para alguém vai ser.

Se desapegando do velho, você dá lugar para o novo.
Se desapegando do que não mais te acrescenta, abre espaço para o que muito pode te acrescentar.
Te abrilhantar.
Te iluminar.
Te valorizar.

Peças de roupas, são como certos sentimentos:
Há sentimentos que vestem a alma.
Enquanto uma roupa, veste seu corpo.
Quando algum deles não mais te acrescenta, não mais te veste, nem te envolve e te completa.
Não tem motivo para mantê-lo.
Ele estará apenas acumulando um espaço, um peso que poderia estar sendo melhor aproveitado.

Se desapegar, é desocupar espaços.
Se desapegar, é uma das maiores trocas de energias que podemos fazer por nós mesmos.

Uma energia de restauração.
Revitalização.

Se tem algo que podemos acumular, tenha certeza de que isso não é nada que seja material.
Mas, sim, sentimental. (Dependendo do sentimento)
E, principalmente, Espiritual.

Isso é:
Coisas que nos acrescentem.

Bons sentimentos.
Bons pensamentos.
Boas crenças.
Bons ensinamentos e aprendizados.

Se não te acrescenta mais, não tenha pena.
Não fica pensando muito.
Não pensa duas vezes.
Simplesmente, manda embora.
Abra a porta para que coisas novas possam entrar.

Sentimentalmente e Materialmente, aprenda:

Desapegar!


Renata Galbine!

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Devaneios


Acordei-a ainda bem cedo.

Essa minha mania de acordar mesmo sem o relógio despertar.
Esse costume dela de dormir até, praticamente, tê-la que acordar.

E hoje eu a despertei.
Como há muito tempo não fazia.
Eu a acordei.

Devagorosamente de sua cama me aproximei.
E um beijo em sua testa, eu dei.

Acariciando seus cabelos, olhando fixamente para seu rosto.
Ansioso, estava.

Ela acordou.
Surpresa, com um sorriso, me perguntou:
- "Meu Amor!!! Você aqui?! Que surpresa boa. Mas... está tudo bem?"

Com uma mão, acariciando o seu rosto, totalmente voltado para mim.
Com a outra, entreguei um pequeno buquê.

Ela sem entender, continuou a querer saber:

- "Que lindas!!! Obrigada!!! Me beija e me diz que não estou sonhando?" - disse ela com aquela covinha no canto do rosto de quando sorri, dengosa, como se quisesse me ganhar.
Mal sabendo ela o quanto já me tem.

A beijei por um longo tempo.
Como se quisesse recuperar todo aquele tempo que havia passado.
Que havíamos nos distanciado, mesmo que não por completo.

Retomei a minha postura e comecei a falar:

- "Eu estou aqui, bobinha! E vim para te falar algumas coisas."

Ela, com um olhar meio perdido, curioso, apreensivo.
Apenas afirmou com a cabeça, dizendo:
- "Pode dizer"
O seu corpo parece ter enrijecido, com sua mão direita, de forma firme, segurava o pequeno buquê.

Respirei fundo.
E, então, comecei a dizer...

"Primeiramente, quero me desculpar!
Por cada dia sofrido.
Por cada lágrima derramada.
Por cada dia que tirei o seu sorriso.
Me desculpar por todo tempo "perdido".

Sei que muito crescemos e aprendemos com tudo isso.

Quero me desculpar por te fazer esperar.
Quero me desculpar pela demora.
Quero me desculpar pelas minhas dúvidas.
Quero me desculpar pelos meus medos.
Quero me desculpar pela distância.

Me desculpar se te chateei.
Me desculpar se te machuquei.
Tanto quanto você, eu também chorei.

Eu pensei muito.
E analisei.
Sobre minhas crenças.
O que você tanto fala e as tem como ultrapassadas, fora da realidade atual.

Finalmente, consegui enxergar o meu valor.
Enxerguei o que mereço ter.
Enxerguei o que mereço viver, o que mereço me permitir.

Enxerguei também tudo o que você tanto me mostrou.
Por palavras. Em conversas.
Letras descritas e tantas vezes faladas.

Sobre se anular.
Sobre poder viver.
Sobre optar para não perder.

Sobre mim.
Sobre você.
Sobre nós.

Consegui assumir pra mim mesmo de que eu estava estagnado em uma zona de conforto.
De que isso estava falando mais alto dentro de mim.
E que, por mais que as minhas intenções fossem dignas, não nos levaria a lugar nenhum.

Por comodismo, insegurança, muitas dúvidas.
Tantas questões.
Talvez, um dia eu te conte.
Qualquer hora eu te explico.
Mas não vem ao caso agora.

Já perdemos tanto tempo.
E nem sei como, nesse tempo, ele não te levou de mim.
Não sei como não te perdi.

Hoje eu quero dizer que optei por nós.
Priorizei a mim.
E, pra mim, se não for com você ao meu lado, não vale a pena.

Não faz sentido.
Não tem lógica.
Não há motivo pra continuar como estava.

Você tem razão!

Não tinha mais como adiar.
Estava errado.
Não tinha como.
Não tenho mais forças para esperar o tempo passar.

É tudo novo pra mim.
Me dá um desconto.
Confesso que ainda estou inseguro.
Mas não há mais dúvidas.
Sei que estou seguindo pelo melhor caminho.
Pensando no futuro.

Não alcançamos mudança se não dermos passos.
E se não caminharmos para que isso aconteça.

Pela nossa alegria.
Pelo nosso sorriso.
Eu vim aqui pra isso.

Obrigado por ter esperado.
Por não ter desistido.
Por ter insistido, mesmo querendo desistir.
Por medo, por mágoa, por tristeza, por dor.
Te entendo.
Como sempre te entendi.

Meu Amor!
Você é a Mulher da minha vida.
Como poucas vezes afirmei até hoje:
- Eu te amo! Eu te amo! Eu te amo!!!!

Acorda para o mundo.
O mundo te espera.
O mundo é seu.

Essas flores são para simbolizar esse dia.

Um recomeço.
Dessa história.
Um novo rumo.
Desse nosso mundo.

Eu e Você!"

As lágrimas escorrendo pelo seu rosto liso e branco.
Aos poucos, abriu os olhos.
Olhou a sua volta.
Respirou fundo.
E entrou em prantos.

Se deu conta de que foi apenas mais um de seus sonhos!


Renata Galbine!

quinta-feira, 12 de julho de 2018

"O Amor é a única revolução verdadeira."


"O Amor é a única revolução verdadeira."

Essa é uma frase do Tico Santa Cruz.
Músico, vocalista da Banda "Detonautas Roque Clube", compositor e escritor brasileiro.

De todas os Textos; Poemas; Músicas; Estrofes; Frases que já li até hoje, essa é uma das minhas frases favoritas.
Que levo pra vida!

Acho ela de um conteúdo enorme.
De uma complexidade profunda.
E de uma verdade sem tamanho.

Amor.
(+) Revolução.
(+) Verdade.

O que, de fato, é o Amor?
O que, verdadeiramente, é Amar?

O Amor é algo tão sublime, genuíno, que chega a ser difícil escrever.
Não sei nem por onde começar.

Você já parou pra pensar?
O Amor é a frequência mais poderosa.

Vibrar no amor, por amor e pelo amor, a gente muda a nossa vida.
E até a vida de outras pessoas.
De forma Positiva e Verdadeira.

O Amor muda tudo.
O Amor move o mundo.

O Amor cura.
O Amor eleva.
O Amor reconhece.
O Amor protege.
O Amor não se esquece.
O Amor valoriza.
O Amor prioriza.
O Amor enaltece.
O Amor não envelhece.

É tanta gente falando de amor por aí.
Mas praticando tão pouco.
Ou nada.

É tanta gente querendo ser amado.
Porém, sem saber amar.

O Amor, é tirar o seu casaco em uma noite muito fria e oferecer pra quem está com você.
O Amor não é egoísta.
O Amor não é pessimista.
O Amor é altruísta.

O Amor, é, vez ou outra, fazer o que o outro está com vontade de fazer.
Mesmo que você não esteja.

O Amor é oferecer um sorriso.
O Amor é, em um abraço, oferecer abrigo.

Amor não dói.
Amar não é castigo.

O Amor não é abrir mão de você.
Mas abrir mão de algumas coisas.
Porque o Amor é uma troca.

O Amor é cuidar.
Mesmo que o outro não perceba.

O Amor é presença.
É cuidado.
É prevalência.

O Amor escuta.
O Amor conversa.
O Amor enxerga.
Enxerga o externo.
Principalmente o interno.
Aquele lado que poucos conhecem.
Que poucos são capazes de ter a sensibilidade de ver.

O Amor capta em silêncio.
O Amor percebe de longe quando algo não está bem.

O Amor é estar perto.
Mesmo que não seja possível fisicamente.
O Amor, quando existente, não se faz ausente.

Se nós caíssemos na real da grandiosidade desse sentimento.
Da importância.
Do poder.
Acho que nos esforçaríamos mais para amar.
E valorizar aqueles que nos amam.

O Amor pode ser mais eficaz do que certos medicamentos e tratamentos.
Porque é capaz de curar.
E eu não tenho dúvidas disso.
O AMOR CURA!

O Amor é sintonia.
Empatia.
Telepatia.
É saber sem precisar que te digam.

Não diga que ama se você não se preocupa.
Se não procura.
Se não cuida.
Se não demonstra.
Se não se faz presente.
Se não abre mão.
Se não vem do coração.

Porque da boca pra fora, é fácil falar.
Quero ver diariamente.
Na prática.
Dos pequenos aos maiores gestos, ser capaz de demonstrar.

Quando o Amor nasce.
Existe.
Persiste.
Sobrevive.
Ele é, sem dúvidas, uma grande revolução.

Pois quando não sai só da boca pra fora, mas, sim do coração.
Não tem o que se discutir.
Questionar.
Duvidar.

Basta acreditar.
Se entregar.
Valorizar.
Cuidar.
Pra não perder.
Sentir.
E viver.

Porque, não tenha dúvidas:

O Amor é a única revolução verdadeira!


Renata Galbine!

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Reflexo de si mesmo


A Vida é reflexo.

Reflexo do que você é.
Reflexo do que você faz.
Reflexo do que você pensa.

A vida é reflexo das suas atitudes.
De como você age.
De como você faz ou deixa de fazer.

A vida é reflexo das suas decisões.
Das suas qualidades.
Das suas intenções.
Das suas imperfeições.
Das suas entregas.
Ou imprecisões.

A vida é uma moeda de troca.

A vida é reflexo do seu empenho.
Trabalho.
Conquistas.
Dificuldades.
E superações.

É buscar forças para ser forte o suficiente.
Independente do que vier pela frente.

Não é só pedir.
Mas, principalmente e, acima de tudo, saber agradecer.

Não é só esperar que façam por você.
Mas fazer pelo outro.
Estender a mão.
Oferecer o ombro.
Estar aberto de coração.

Se hoje estiver nublado.
Aproveite do silêncio para refletir o que precisa ser mudado.

Se hoje for tempestade.
Aja com serenidade.
A chuva rega, limpa, lava, leva as impurezas.
E passa.

Se hoje for Sol.
Saiba aproveitar.
Desfrutar.
Valorizar desse dia de luz.

A tempestade, às vezes, assusta.
Dependendo do que trás consigo.
Excesso de água e algum tipo de perigo.
Mas uma hora ela para.

Assim é a vida...

O que você faz dos seus dias nublados?

Como você lida com as tempestades?

Com qual sentimento você recebe um dia de sol?

O que você faz por você?
E pelo seu bem estar?
Você enxerga a sua auto-estima?
Você se valoriza?
Quais são seus planos?
De que forma você conduz a sua vida?
Você sabe o que é problema?
Como você lida com eles?
Você já realizou muitos sonhos?
Já se deu conta que está vivo e que para realizar o que ainda não realizou basta ter a coragem de tentar?

E pelo outro, você é capaz de ajudar?
Quando foi humano pela última vez?
E esses preconceitos que você ainda não se desfez?
Você sabe dar "Bom Dia" as pessoas a sua volta, inclusive desconhecidos?
No seu Dicionário existem aquelas palavras indispensáveis, como: "Por favor" e "Obrigada (o)"?
Você já elogiou alguém hoje?
Você já perdeu um amor por bobagem?
Você cultiva as suas amizades?

Não cobre da vida.
Não cobre de Deus.
Não cobre do outro.
Não cobre do mundo.
Não cobre de ninguém aquilo que não estiver saindo de você.

A vida nada mais é do que isso...

O reflexo do seu próprio ser!


Renata Galbine!